Glossário de armas de corte

Este é um glossário de referência sobre as ferramentas de corte e armas amplamente utilizadas onde algumas nomenclaturas básicas da faca e facas e armas de corte típicas são listadas. A faca é um instrumento que cruzou e continua a cruzar a história da humanidade refinando ou se queremos dizer "aguçando" cada vez mais suas características intrínsecas como ferramenta de trabalho ou como arma. A evolução tecnológica e técnica nesta ferramenta aparentemente simples, mas que esconde dentro dela uma vasta variedade ligada ao seu uso e propósito de uso. 53 min


128
Glossário de armas de corte coltellimania.com

  cortando armas

Glossário de cortar armas e ferramentas.

Este é um glossário de referência sobre as ferramentas e armas de corte amplamente utilizadas e onde algumas nomenclaturas básicas da faca e facas e armas de corte típicas são listadas.

A faca é uma ferramenta que atravessou e continua a percorrer a história da humanidade refinando ou se queremos dizer “aguçando” suas características intrínsecas como uma ferramenta de trabalho ou como arma.

A evoluçãotecnológica e técnica nesta ferramenta aparentemente simples, mas que esconde dentro dela uma vasta variedade ligada ao seu uso e propósito de uso.

cortando armas


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera A

Abbasi – A versão de Rajput da espada longa indiana com lâmina reforçada por fitas metálicas perfuradas. Abbasai Talwar é um sabre de Punjab.

Aceitar – Pequena escuridão muito em uso na Europa Central e Oriental em 1500-1600. [vedi anche “scure”]

Aceitar o siciliano – O aceito siciliano é muito bem trabalhado e foi arma cerimonial em 1600-1700.

Achico – Tipo de bolas com três bolas.

Acináceos (melhor Akinakes) – Espada Persa Curta (500 a. Cr.) originalmente dos citas.

Aclys – Dardo romano curto.

Adarga – Arma que se acredita ter sido usada pelos árabes na década de 1400; foi formado por um escudo com uma lâmina perpendicular para ele e a alça formada por duas lanças opostas.

Afiação : Última fase de refinamento do corte e da rosca, geralmente manual, que segue o rolamento e que dá ao fio da lâmina as capacidades máximas da tesoura.

Agny Astra – Espécie de foguete incendiário lançado de um tubo de bambu, em uso nos hindus antigos.

Ahir – Espada curva curta do Mahratta.

Ahlspiess – Quadrellone com um grande disco de parada na base do ferro; alemão em 1400.

Aikuki (ou Kusungobu) – Faca japonesa sem guarda com uma lâmina de 0,95 pés de comprimento (cerca de 27,5 cm). O nome Kusungobu significa 0,95. Usado na cerimônia seppuku.

Alabardin – Alabarda de pequeno porte usado como sinal e posto de oficiais não comissionados (1700).

Alamani – Sabre indiano semelhante ao sabre dos usares alemães.

Alfange – Sabre espanhol semelhante ao khanjar.

Albacete – Faca serramanica basca, variante de navaja.

Alighiero – Uma ferramenta marinha que também pode ser usada como arma de leilão; agora chamado de “meio marinheiro”.

Alluminia: Obtida em laboratório para calcificação de hidróxido de alumínio, é usada em pó fino para remover formações de ferrugem muito leve das lâminas.

Alumínio: Mineral amplamente utilizado na forma de ligas nas indústrias automotiva, naval e de aviação, etc. As alças de faca também são construídas com ele.

Alpacca: Liga de cobre (50), níquel (20) e zinco (30) utilizada em talheres e talheres.

Ama Goi Ken – Espada japonesa curta com lâmina de cerca de 33 cm de dois gumes em uso em templos. A imagem do dragão da chuva (Amakurikara) está gravada.

Ambalang – Estilingue de Sumatra.

Amentum – Em grego Ankulé estava a corda fixada no dardo romano e usada para jogá-la; é solução semelhante no Gunep da Nova Caledonia que tem a vantagem de se afastar do haste de dardo no lançamento. São atingidas distâncias de mais de 200 metros.

Amera – O propulsor, ferramenta pré-histórica para lançar lanças e dardos. Também conhecido como Woomera (Austrália), Atlatl (México, Astecas), Queske, (Columbia), etc.

Amusette – Artilharia de pequeno calibre (20-30 mm com projétil de 0,5-1 libra)) na escala, aparentemente inventada pelo Marechal Francês de Saxe e usada durante a Revolução Francesa. Light, ele poderia ser transportado muito rapidamente por apenas dois lacaios, mesmo em trilhas de montanha, e poderia disparar até três tiros por minuto.

Anelace – [vedi “cinquedea”]

Ângulo de afiação : Ângulo resultante do encontro de duas linhas ideais: uma passando pelo plano da lâmina com a que passa pela superfície de afiação.

Ângulode corte : Ângulo resultante do encontro de duas linhas ideais: um transeunte no plano de lâmina com o transeunte no topo da banda de assar.

Angone – Javelin com haste curta e ferro longo em uso por francos.

Ankus (ou Ancus, Fursi, Gusbar, Hendoo) – Não é uma arma, mas a picada usada pelo manipulador de elefantes na Índia; 40-100 cm de comprimento.

Aobie – Espada de bambu japonesa curta.

Applegate-FAIRBAIRN: Após a morte do Capitão Sykes, capitão Fairbairn, não completamente satisfeito com o desempenho do famoso estilete de combate Fairbairn-Sikes adotado pelas tropas anglo-americanas durante a Segunda Guerra Mundial, Vou elaborar um projeto para uma nova adaga de combate para melhorar o velho F.S. A partir de sua colaboração com o Coronel Rex Applegate, nasceu um novo modelo de adaga de combate puro, mas apenas no papel. Apenas 35 anos após seu design Applegate ser capaz de fazer a transformação de protótipo no papel para modelo real.

Áries (ou Batteryg ram, belier) – Cerco machina para romper paredes ou portas.

Armas em Leilão – Spit de Lanzichenecchi, 1550; Picca, 1660; Lance, 1500; Cuspir caça, 1600; Arremesso de fogo, 1700; Falcione, 1550; Partidário, 1600; Alabarda, 1520; Alabarda, 1650; Roncone, 1650; Mazzapicchio, 1500; O Berdic.

ARKANS (PIETRA OF): Até a propagação de abrasivos sintéticos, este foi o principal ABRASIVE PIETRA usado para afiar as lâminas. Está no mercado nos graus de dureza (e grãos): washita, macia (grande e média), dura e preta (média, fina e fina). Eles são cortados de NOVACOLITE (vd.), uma rocha de sílica particularmente abundante no estado norte-americano do Arkansas, que deu seu nome ao coti feito a partir dele.

Arma (branco):Arma operada diretamente pela força muscular do usuário. Ou você define armas brancas (da cor do aço) todas as armas que precedem o advento das armas de fogo, apenas para distingui-las delas.

Arredondamento: Uma fase que precede a fisitação e que, na moagem, serve para formar ou restaurar o corte da lâmina.

Eixo Bipenne – Eixo de lâmina dupla oposto que já aparece no Castelo de Knosso (Labris); na época dos romanos ele compôs o feixe litorio. Usado em batalha pelos bizantinos e um pouco em toda a Idade Média.

Machado – [vedi “scure”]

Aunurgitsch – O tipo de lança longa da Ilha Melville.

Avoriolina: Nome genérico pelo qual todos os plásticos que imitam marfim são designados, às vezes tão perfeitos a ponto de dificultar a distinção do real, pelo menos a olho nu. Todas as imitações plásticas têm menor densidade do que a do marfim, mas maior do que a dos plásticos transparentes, pois são enriquecidas por inclusões de pós minerais inertes.

Ayda Katti – A Espada Nacional dos Coorgs (Malabar); não tem bainha.

Ay-Balta – Machado de combate turco.

Azande – Congolese lançando faca.

Azza – [vedi “mazzapicchio”]


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera B

Babanga – Espada Africana com lâmina larga (Gabão)

Bade-Bade (ou Battig, ou Roentjau) – Faca malaia com lâmina curva sem guarda, afiada na parte côncava; muito característico a bainha e a alça.

Badelaire – Saber de 1500, semelhante a uma cimitarra; é um termo ainda usado na aráldica.

Badik (ou Batak) – Faca de Java, Sumatra, Sulawesi, e parte da Malásia e Bornéu, semelhante ao bugis; faz parte da roupa tradicional e é usado na frente entre as dobras do sarong. O Badiq Loktiga é uma faca Bornéu com uma lâmina pequena e uma alça elaborada.

Baggoro – Queensland flat wooden bat formado por uma barra plana e madeira dura de madeira afiada com uma alça curta; Tem até 15 cm de largura e cerca de um metro de comprimento. É notavelmente pesado.

Bagh Nakh (ou Nahar-Nuk, ou Wagnuck) – Arma da Índia cujo nome significa “garra de tigre”. Consiste em uma barra de metal ou placa na qual são inseridas 2-5 garras, às vezes na forma de uma lâmina afiada. Nas extremidades da barra dois ortos para inserir os dedos; aderência para que as garras saem entre seus dedos.

Bayonet – Arma de corte a ser saciada em um rifle. A baioneta tem o nome da cidade francesa Bayonne, onde foi originalmente produzida. Foi usado pela primeira vez nos séculos XVI ao XVI para caçar. Ferro duplo-afiado, inalado, baioneta foi então adotado em armamentos militares.

Balcãs (punhal b.) – Adaga de 1800 em uso nos Balcãs.

Baleeiros – Faca de Baleeiro.

Besta – Arma formada por um arco de madeira, chifre ou aço montado em um chute (barril) e destinado a lançar flechas, bolzoni, bolas.

Balisong – Faca filipina cujos dois cartuchos laterais abrem “borboleta” para formar a alça. Pode ser aberto com uma mão e, uma vez segurado, pode ser considerado lâmina fixa. Espalhou-se muito depois da Guerra do Vietnã.

Balista – Máquina de guerra por atirar pedras ou dardos; os nomes das máquinas de guerra são relatados com pouca precisão e nem sempre é possível distinguir entre ballista, catapulta, trebuchet, biffa, mangano, etc.

Ballock – Uma faca escocesa dos anos 1400 semelhante à adaga renal (ballock significava testículo) da qual o Dirk derivará. A bainha muitas vezes continha uma faca.

Bane Fang (ou Bene Fang) – Adaga Bane Fang no Gabão, cerca de 50 cm de comprimento. A alça deve ser uma figura humana estilizada.

Banco – Faca curva da cacique Maharatta.

Barngeet (ou Ban-geek) – Victory’s Combat Boomerang. Com cerca de um metro de comprimento, pode ser lançado a mais de cem metros de distância.

Barkur (ou Worran) – Taco de Queensland parecido com Baggoro.

Centro de gravidade (equilíbrio): O equilíbrio estático é a verificação de que o centro de gravidade está no eixo de rotação. O equilíbrio dinâmico é a prova de que o eixo de rotação coincide com um dos principais eixos de inércia do sistema.” O centro de gravidade ou centro de gravidade é o ponto de um corpo no qual você pode imaginar concentrado todo o seu peso. Um corpo a ser suspenso (por exemplo. Um a.b.) para o seu centro de gravidade, está em equilíbrio indiferente. Diz-se que uma arma é bem equilibrada quando uma vez empunhada aparece e é “sentida” como uma extensão natural do antebraço. Deve ser fácil de manusear e deve permitir uma boa variedade de ponta e/ou cortar tiros, sem afetar com efeitos desagradáveis sobre quem a segura.

Barong – Arma Nacional Moro do Arquipélago sulu, mindanao e bornéu norte. É uma arma de combate.

Basileia – Espada curta ou punhal em uso de 1300 a 1500.

Bastarda – [vedi “spadona da una mano e mezza”]

Bastardo – Faca que é acompanhada por outra arma branca com caso especial na bainha principal.

Vara Animada – Enfie dentro do qual uma lâmina está escondida.

Baswa – Faca congocom uma lâmina ondulada e sem guarda.

Batak – [vedi “badik”]

Batardeau – Uma faca semelhante a Dirk que foi carregada em um bolso de bainha de espada.

Bayu – Faca borneo com uma arma dupla afiada e uma alça de arma.

Beidana – Uma arma manesca semelhante ao sabre derivada da andorinha. 50-60 cm de comprimento com uma lâmina estreita perto da alça, mas larga na ponta e que tem uma perfuração com o bacalhau que dobra para agir como um protetor de mão. Nascido nos Vales do Piemonte entre 1200 e 1500.

Beladau – Sabre curto de borneo afiado no lado convexo com guarda e guarda no dedo.

Berdica – Escuro com lâmina muito longa (30-60 cm), mas estreito; a vara atingiu a altura do homem. Usado no nordeste da Europa e rússia a partir de 1300.

Bhala – Lança longa do Mahratta.

Bhuj (também chamado de Kutti ou Faca Elefante) – Faca indiana de cerca de 40 cm de comprimento com alça muito mais longa que a lâmina; foi chamado de “faca de elefante” para a cabeça do elefante que aparece no início da lâmina.

Bichaq – Faca armênia e turca.

Bichwa – Adaga indiana com lâmina e alça perfurada; originalmente feito de um chifre. Às vezes, a alça é combinada com um Bagh Nakh.

Bilbo – Espada pequena ao lado de excelente aço de Bilbao.

Biliong – Axe-samac malaio com uma lâmina em forma quadrada presa a um clube de madeira com uma alça bastante flexível.

Bill (ou Projeto de Lei Marrom) – Uma das primeiras armas medievais dos anglossasons, da família da arma. As formas das lâminas são variadas.

Binnol – Chicote indiano composto por uma bola pregada juntada por uma corrente a uma vara de madeira.

Bisacuta – Aparentemente era um pique de duas pontas usado na década de 1300; o biciacuto corresponderia em vez de um machado de dois cortes da enxada.

Bi-teran – Morcego australiano (Quinsland) com alça redonda e ponta achatada.

Boabdil – Nome de espadas e punhais contra os muçulmanos espanhóis no final dos anos 1400, deformação do nome de Abu Abdullah último governante mourão em Granada. Eram armas com pomlet de cebola, edlo de casco e muito decoradocom marca d’água e esmaltes.

Boku-to (ou Bokken) – Imitação japonesa de swordwood transportada por médicos.

Bolas – Uma arma típica dos índios das pradarias da América do Sul, mas provavelmente usada na Europa por homens pré-históricos. Consiste em duas ou três esferas de madeira ou duas ou três bolsas de couro contendo pedras, do tamanho de uma laranja, cada uma fixada a uma corda de cerca de um metro de comprimento. As cordas são então amarradas com a extremidade livre. Eu sou lançado de várias maneiras: 1) segurando a ponta das três cordas unidas, girando brevemente as bolas acima da cabeça e, em seguida, jogá-las; 2) segurando uma das bolas e girando as outras duas; 3) segurando uma das bolas em sua mão (às vezes menor que as outras) e girando as outras duas; Assim, a primeira bola pode ser liberada com um pequeno atraso. Com este método é fácil obter uma rotação das bolas de feixe, útil para embrulhar as pernas de um animal em fuga. Eficaz até trinta metros. Esquimese usa um tipo de pássaro para caçar pássaros grandes.

Bolo – Faca das Filipinas.

Bumerangue (wangim) – Os primeiros povos usavam ou usavam palitos de madeira curva com uma forma aerodinâmica que aumentava seu alcance. Somente na Austrália houve a invenção adicional de uma forma aerodinâmica que permite que a vara faça evoluções aéreas, alcance distâncias o dobro da de uma vara normal, para finalmente voltar ao lançador. Os australianos também usaram bumerangues que não voltaram. O comprimento é de cerca de 50-60 cm.

Bo-shuriken – Faca japonesa ou arma de arremesso às vezes em forma de lâmina e semelhante ao Kogai (chamado de assim gata), às vezes circular, quadrado ou hexagonal (hari gata e kugi gata).

Bourdonasse (ou bourdon) – Lance leve com a haste oca para que possa ser facilmente despedaçado, usado em torneios.

Bowie – Faca americana do Extremo Oeste, criada verdadeira em 1830. Mesmo com uma lâmina de arame duplo ou uma lâmina de lança de 25 a 60 cm de comprimento. O termo se traduz e se aplica a “Bowie knife”, também conhecido por nós como “faca americana”. Faca maciça e maciça, corruscoe e icmoco e intimidante, o bowie é a faca símbolo dos Estados Unidos da América.
Nascido no início do século XIX no sul dos Estados Unidos, bowie logo se tornou famoso e amplamente adotado por todos os homens fronteiriços e ao ar livre. Faca caracterizada por uma lâmina larga e um fio pontiagudo, com performances que vão desde o uso na vida aberta, até a caça, ao combate. O nome vem do homem que, a lenda tem, trouxe pela primeira vez e o usou, coronel J.Bowie (1795-1836). Depois de 1880 grandes quantidades de facas bowie foram produzidas e exportadas da América para a Inglaterra e o resto da Europa.

Brandistocco – Spiedo com cusp central longo com duas asas na base; os ferros têm seção lozenge; foi usado na guerra implantado atrás de espadas. É errado usar o termo para o Bouncer.

Braquemar (ou Braquemart) – Espada europeia de dois cortes curto com uma alça simples e não identificada (1500).

Bricole (pron. French) – Um tipo de ballista dos 1300.

Briquet – Saber francês mod. UM IX e XI.

Buckie – O machado/faca da Índia não foi bem identificado.

Budiak – Lançador de Moor (Filipinas).

Bukmar – Trombone em uso na Índia.

Bulawa – Marreta de cabeça redonda da Europa Oriental e área indo-persa transportada como símbolo de poder e como arma (1600-1700)

Bullova – Machado de combate das tribos de Choata Nagpur (Índia). O. mais de um metro de comprimento alça e a lâmina toma várias formas.

Lançamento de fogo inalado – É uma ferramenta do bombardeiro com ferro central e galhos (cobras) em que fixar com grampos o fusível ou a corda de fogo.

Bouncer – Vara formada por uma vara de metal fechada superiormente por uma tampa de estalo. Uma forte projeção trouxe à tona uma lâmina longa ladeada às vezes por duas pequenas lâminas separadas. A lâmina central também tinha 80 cm de comprimento. (XVII sec.).

Burrong – Tipo de morcego australiano com uma ponta dobrada quase na forma de um machado semelhante ao leão ou liyangayil.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera C

Caling Naga (ou Garra de Dragão) – Faca Filipina; 35 cm de comprimento.

Campilan (ou Kampilan) – Espada da Malásia, a arma nacional do Mar Daiachi, mais tarde adotada pelos mouros de Sulu e Mindanao. É carregado com uma bainha de madeira aberta por todo o seu comprimento. Tem cerca de um metro de comprimento.

CARBONIO: Elemento não metálico que é encontrado tanto no estado elementar (diamante, grafite, etc.) quanto no combinado. O carbono faz parte da composição dos aços usados pelos empunhadores de facas em percentuais que variam de 0,5 a 1,05. Os aços binários, aqueles que consistem nas ligas de apenas dois elementos Fe/C podem ser variados adicionando outros elementos. Isso tornará aços especiais (ou aços amarrados) fraca ou fortemente ligados. Eles dizem fracamente ligado quando cada elemento da liga não excede 5 e fortemente ligado quando pelo menos um elemento na liga excede 5.

Catapulta – Máquina de guerra para atirar pedras; a pedra pode ser contida em um saco como no trebuchet. Usado desde os tempos antigos poderia atirar pedras a mais de meio quilômetro de distância.

Cento e vinte – Bombardeiros stylus ou venezianos de 1600 que carrega uma escala graduada de 1 a 120 para localizar ou lembrar os calibres dos canhões;: lê-se segurando a ponta da caneta no topo e no No. 120 é para o calcanhar.

Cerbottana – Tubo usado para lançar flechas usando a força dos pulmões. Em uso com vários povos da América do Sul e Malásia; o comprimento varia de 120 a 300 cm. Na Malásia era chamado de Sumpitan; Fukidake no Japão.

Chakram – Um anel de aço de 10-30 cm de diâmetro com uma borda externa afiada e perfil aerodinâmico. Era a arma dos sikhs indianos. Foi lançado horizontalmente, enganchando-o com seu dedo indicador dentro e dando-lhe um movimento rotativo rápido (não foi girado em torno do dedo como muitos pensam) e com toda a força do ombro, como. Atingiu a distância de cerca de 50 metros tendo um certo elevador e era extremamente perigoso.

Keyer – Tipo de espeto de lâmina longa e larga, equipado com prisões de gorbia (em uso até meados de 1460).

Chilanum – Adaga indiana com lâmina de cerca de 30 cm de curva dupla e corte duplo, forjado na semelhança do chifre; guarda e botão de tamanho quase igual.

Chimbane – Lança Africana Abissiniana.

Chigiriki – Uma arma japonesa medieval que consiste em uma vara de cerca de 60 cm com uma corrente no mesmo comprimento e terminando com um balão ou um cilindro de madeira pregado.

Chisa katana – Sabre japonês de comprimento intermediário entre katana e wakizashi (lâmina de cerca de 60 cm.).

Choora (ou Chura) – Faca do Mahsud do Khyber; semelhante a Peshkabz. Comprimento total de cerca de 45 cm.; parte de trás da lâmina perfeitamente reta e reforçada para que a lâmina tenha uma seção T.

Chu ko nu – besta chinesa repetidamente. Os bolzoni estão contidos na gaveta superior e operando a alavanca a gaveta se retrai e estica o arco; trouxe para a frente depósitos a seta na haste.

Chura – Faca afegã.

Cinquedea (ou Anelace, ou Língua de Boi) – Adaga ou adaga curta com uma lâmina muito larga que encolhe rapidamente. Derivado do parazôrio, mas a forma já é de punhais de bronze. A lâmina é equipada com conchas e quase sempre trabalhacom decorações. O fornecimento é formado faz braços arqueados em direção à ponta; a alça é plana e decorada com marfim, latão e muito mais. A lâmina é quase sempre decorada em ouro. Arma civil que atravessa a década de 1400 em Emília-Veneto.

Claymore – Spadona de duas mãos em uso nas Terras Altas da Escócia e irlanda no final de 1400.

Clave, Exotic Combat Clubs – O número de clubes de combate usados por povos primitivos é infinito e faria pouco sentido listá-los.

CLIP: Termo que se traduz em fecho e equivalente ao botão de fixação. Na verdade, é uma barra metálica e elástica colocada na parte de trás da bainha ou na lateral da alça, facas de lâmina móvel, para permitir que ela seja presa ao cinto.

Parte do ferro que penetra na alça. É chamado de bacalhau de rosto completo (bacalhau que passa) quando ele emerge no topo da alça, parado por um desconto no pom ou por uma porca (ou outra) ferrada na extremidade roscada do codo. É chamado de bacalhau parcial quando ele pára em cerca de 1/3 da profundidade geral da alça, mantido firmemente por partes de cola e/ou por rebites passando e recuperados.

Colichemarde (ou triturador, ou Francopino) – Tipo de espada com uma lâmina larga e dois fios no calcanhar e primeiro trecho, depois estreitado e continuado em verduco. Foi usado no final de 1400, especialmente entre as milícias francesas chamadas Franc-toupins. Também indica um tipo de lâmina feita a este guisa e usada em espadas no final de 1700.

Faca de duas mãos – Arma de lâmina longa com lâmina de arame e ponta reta ou pequena curva; Escopo alemão no final de 1400 para caça.

Faca de cavalo – Arma manesca de comprimento médio usada para caça a cavalos em 1500.

Faca de Arremesso Africana – Facas africanas multi-lâminas. Arma típica da África Central em inúmeras variações. Diz-se que chega a quase 100 metros e é muito eficaz. [vedi anche “azande”]

Faca de Violação – Faca robusta montada em uma vara de dois metros de comprimento e usada em operações de assalto à parede; usado em 1400. O cara francês se chama Vouge.

COMBATE-FACA: Traduz-se em “faca de combate”, designa uma arma branca curta geralmente em um fio e contra-corte que se presta a usos multiuso.

COMBATE-SOBREVIVÊNCIA: Uma designação americana que se traduz em uma “faca de combate e sobrevivência” e designa um tipo de arma branca curta projetada e construída pela primeira vez nos Estados Unidos, adequada para combate e sobrevivência. Este modelo é idêntico em desempenho ao combate-faca com a vantagem de possuir uma alça oca que lhe permite especializações adicionais de uso. A alça oca abriga fósforos, pílulas desinfetantes para tornar água potável, ami e linha, manchas, bússola embutida na maçã e anéis o.ring no botão para evitar que a água ou poeira escoeentre dentro da maçaneta e outros pequenos acessórios úteis para primeiros socorros e sobrevivência pessoal.
Exemplos incluem o modelo de sobrevivência de ataque de Randall em 1963 de 1963, também em exibição no Museu de Arte Moderna em Nova York, W. Moran’s ST23 Combat-survival (sem uma alça oca, projetada durante a Guerra Viet-Nam), a série de facas oferecidas em vários tamanhos e modelos do esfaqueador J. Lile, o combate à sobrevivência (faca) de R. Parrish, faca adotada por unidades aéreas canadenses e francesas para tarefas especiais. No entanto, Randall não foi o primeiro a pensar em uma faca de alça oca (1963). Já em 1940, a Case & Company of Bradford, uma indústria de facas, tinha feito e produzido em quantidades muito limitadas a primeira faca com uma alça oca e maçã parafuso. Também em 1957, a Marble’s Arm Corporation fez uma faca de grande série de Camillus Cutlery cujo nome era “FACA DE SOBREVIVÊNCIA da FORÇA MARINHA dos EUA”.

CORAMÈLLA: faixa de couro fixada em um suporte que, untado e polvilhado com pasta abrasiva fina, serve para dar o último afiado para lâminas e facas.

CONTROPHILIA: Sinônimo de “contracorte” e/ou “fio falso”: em sabres, em facas em um fio e 1/3, e em toda a variedade de lâminas que têm as costas fortemente diluídas no terço distal (fraco), é definido como contra-corte a parte dorsal dos fracos que precisamente, pode, ou não, ser afiada.

CONTRA-calcanhar: Em facas / punhais com alça o calcanhar do balcão é uma placa da mesma espessura do arco, posicionado na altura do calcanhar, que serve para completá-lo e continuar a parte dorsal da alça. Em facas/punhais complexos, o calcanhar do balcão nada mais é do que a arte postero-apical da ala menor da mola interior.

Fachlor Horn – O Fachiri não podia carregar armas, mas eles combinaram com esta ferramenta feita com chifres de búfalo!

Protuberância cefálica ou cefálica integumental ou óssea, ou integumental e osso ao mesmo tempo. Antílopes, gazelas, gado e ovelhas são cavicorni. Veados, veados e renas são plenicorni. Os chifres dos animais são processados para obter apertos redondos, alças de armas brancas com lâminas móveis, ou seja, rachados no meio, ou guancioles.

Corsesca – Uma vara dos anos 1400-1500 com ferro com uma longa cusp, geralmente quadbutt, mas às vezes seção rhododal; na base duas asas se espalharam, arqueados e terminados para um prego; as partes convectivas são afiadas; às vezes até mesmo os côncavos. Parece que ela nasceu na Marinha.

Corsesca palmata – Corsesca com triângulo agudo e costela longitudinal até a gorbia; abra e asas palmeiras; muitas vezes o contorno é tudo afiado; Arma italiana derivada do brandie e pretendia mais bater ponta do que desenhar.

COSTOLA: Mais espessamento das costas, frequente em lâminas de combate, com o objetivo de dar mais peso e, portanto, maior poder de impacto inercial, maior solidez, maior rigidez transversa à arma. Também pode ser um revestimento de metal sobreposto e moldado à forma da parte de trás.

Costelas de pé – Arma manesca branca com lâmina longa, reta, flush e pontiaguda; tamanhos diferentes, dependendo do uso de pé ou cavalo. Em uso desde o século IX.

Couse (ou Kouse) – Faca inalada, talvez derivada de atestado; arma dos trabants. Muitas vezes os rostos são decorados com a insígnia do cavalheiro. Em uso em um ambiente germânico até o final de 1700.

Craquemart – 1500 smarine faca pesada.

Cross-GUARD: Um termo que se traduz em “crossguard” e equivale a “transfronteiriço”. O termo cross-guard (ou quillons ou cross-bar) refere-se à forma mais simples e primitiva de defesa, que precisamente pelo fato de se assemelhar e/ou representar a cruz, enriquece a arma com significados simbólicos. O elso cross, precisamente, é a forma mais simples da barra transversal, e no nosso caso chamamos de “cruz”

Crowbill – Tipo de martelo com uma alça bastante longa e ferro formado apenas pela caneta. Em uso na Índia.

Curtana (ou Espada da Graça) – Espada com o dedo quebrado e disse ter sido feita em 1661 na Inglaterra para Carlos II simbolizar que a justiça deve ser acompanhada de graça.

CUSTOM (FACA): Todas as facas personalizadas são feitas à mão, mas nem todas as facas artesanais são personalizadas.” O termo costume agora é usado em todos os lugares, por exemplo, para distinguir facas feitas em série de produção artesanal, e perdeu todo o valor e conotações fundamentais que fizeram e ainda fazem um costume uma faca única, exclusiva, feita de acordo com o solicitações específicas do cliente, discutidas com antecedência sobre os materiais e forma. O termo costume também se estendeu à produção industrial, criando confusão no significado exato do termo para o público em geral.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera D

Daga – Arma manesca branca com lâmina reta, bastante larga, duas fios e ponta, de tamanho intermediário entre a adaga e a espada curta.

Punhal (ou adaga de duelo) – Adaga ou espada curta para usar com a mão esquerda em duelos.

Daisho – O par de duas espadas samurais compostas por Katana (vamos, longa) e wakizashi (sho, short).

Dalwel – A espada de duas mãos da Birmânia com uma lâmina de cerca de 60 cm, muito afiada.

DAMASCO (AÇO):
As lâminas de aço damask representam o auge da prática de forjar tanto para a beleza quanto para a qualidade mecânica e no caso de lâminas contemporâneas de assinatura de prestígio elas têm um valor de mercado preciso, que ao longo do tempo sobe continuamente. Mas vamos ver o que significa aço damasco. Aço Damask, masuch aço, aço damasco, soldagem de patter, aço regado, ou redutivamente damasco, é um tipo particular de aço que, depois de ter sofrido processos específicos, assume a aparência final de um aço cromaticamente contrastado (rega), com clara-escura e cinza-branco, com uma tendência mais ou menos regular desses contrastes que, aos olhos do especialista, estão revelando a bondade da lâmina e a habilidade do artesão. O termo damasco é tipicamente ocidental e europeu. Acredita-se que o termo foi atribuído a este aço pelos Cruzados e aqueles que tinham relações comerciais com o Levante. Vale a pena notar que o elemento espelho de movimento-superfície de onda é usado na definição de damasco entre todos os povos, isso é porque o significado primitivo do termo nunca foi perdido historicamente, e note como a própria definição de Damasco desenha o origem da forma de interpretar o aparecimento de suas lâminas pelos autores orientais: “uma superfície tão ondulante quanto a de um rio”. O termo Damasco na cultura europeia provavelmente está ligado a uma razão econômico-geográfica: o comércio das lâminas acabadas ocorreu em Damasco, e então porque Dimisk-As-Sham, a cidade síria, foi, além de coletar armas, o ponto de chegada e partida do caravanas para a Turquia, Afriva do Norte, Balcãs e Europa.
Existem dois tipos fundamentais de damasco diferentes em definição, composição e realização: o indiano, de outra forma chamado wootz, damasco oriental ou aço derretido ou aço cadinho, e a damasco soldada europeia. Ambos os aços tiveram amplo uso tanto no Ocidente quanto no Oriente, e na história de sua descoberta e refinamento e extremamente estimulante para estudos científicos sobre conhecimento metalúrgico e processos cognitivos relacionados entre os povos da antiguidade.

Dha – Sabre nacional da Birmânia com lâmina de comprimentos variados; tem a alça mais curta do dalwel.

Dhara – A maça de seis costas de Maharatta.

Dhoup – [vedi “khanda”]

DEFESA: Qualquer coisa que ajude a proteger e proteger a mão.

O termo “dirk” refere-se à faca escocesa (provavelmente derivada da adaga renal) em uso no século XVII como arma civil e no século XIX como arma militar. Lâmina de um fio e ponta e maçã com pedra semipreciosa da coloração da associação de pertencimento. Na cultura anglo-saxã, o termo dirk estende-se para definir certos sabres fornecidos a oficiais navais (ingleses e americanos) no final do século XVIII (dirk naval) e a certas facas mediterrâneas (dirk mediterrâneo). O dirk é uma arma muito copiada e reproduzida hoje por muitos empunhadores de facas.

DISCHETTO: Elemento circular em tartaruga, couro, chifre, âmbar, etc., que é perfurado no centro é enfiado no bacalhau em série progressiva ou alternada para criar padrões decorativos, de modo a compor, na totalidade, a alça.

Dohong – [vedi “Mandau”]

Doloire (pron. French) – Carpinteiro de lâmina larga escura também usado em batalha.

DORSO (DE LAMA): Parte maciça da lâmina em frente ao fio. Isso também é caro. A parte de trás pode gradualmente atenuar até que termine em uma parte fina (geralmente o fraco ou terceiro distal) e, às vezes, aguçado. Nesta última caixa, a lâmina terá a característica de ter o rosca que continua mesmo para um trecho mais alto e será definida como uma lâmina com um fio e um terceiro, ou lâmina para um terço de um fio, ou lâmina para um fio e contracorte ou lâmina para um fio e meio. A parte de trás, no entanto, é adequada para mudanças de forma calculadas também em relação ao destino funcional da arma.

DROP-POINT: Termo que traduz e se aplica à “ponta de gotejamento”. A ponta está alinhada com o eixo central da lâmina.

DUREZA: “Dureza é a resistência de porções da substância aos deslocamentos locais.” Existem vários testes para testar a dureza dos metais. Lembramo-nos de Brinell, Vickers, Herbert, Shore, Rockwell, o último o método mais difundido. Este método (inventado pelo engenheiro americano S.R.) é o índice da dureza de um material submetido à ação de um penetrador de esfera com um diâmetro de 1/16 polegadas de aço duro Hrb, ou cone de diamante Hrc, se a dureza for maior que 200. A dureza é derivada da medição do naufrágio e expressa-se como a diferença entre o naufrágio de uma carga final de 100 Kgf (Hrb) e 180 Kgf (Hrc) e que corresponde a uma carga de 10 Kgf. Lembre-se que para forjar mestres o teste rockwell não é absolutamente indicativo e decisivo para as qualidades gerais da lâmina. Adotam múltiplos sistemas de verificação não apenas de dureza, mas também da capacidade de corte, elasticidade e flexibilidade da lâmina, da retenção do fio, da capacidade de penetrar, da distribuição de peso e dos saldos.

Dussack (ou Dusack) – Coltellaccio cuja alça é feita a partir de um slot do mesmo ferro. Nascido na Alemanha, costumava treinar esgrima com faca.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera E

Egito Antigo (armas E.A.) – Na tumba de Ramsés III foram encontrados: bat, vara, espada em forma de foice (semelhante ao Sapara assírio), faca de combate.

Defendendo a mão na forma de uma barra, em seu formulário mais clássico e generalizado e correio transversamente comparado com a alça e lâmina, deitado no mesmo plano destes. Sua iconografia vai da extrema essencialidade ao formalismo mais exasperado. Todo o corpo do elso consiste em uma parte central ou sólida, um cruzeiro que é o ponto do elso através do qual o bacalhau passa, por dois braços (guarda e desfile) que partem dos lados menores do sólido e que podem ser retos , curvado simetricamente ou curvado e em frente um ao outro. Em sua forma mais simples, o capacete permite o uso ambidestro da arma, então com a adição dos elementos de defesa (arcos, pontes, prisões, galhos, etc.) especialmente em armas brancas de longo condicionamento, juntamente com a intensificação da defesa, o uso com mão esquerda ou direita.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera F

Facòn – Originalmente faca espanhola, agora a faca do gaúcho argentino; tem cerca de 30 cm de comprimento.

Falarica – Uma lança grande e resistente romana que foi arremessada das paredes, geralmente com máquinas de guerra; poderia transportar material incendiário embrulhado.

Falchion – Indica um sabre medieval com uma lâmina grande e pesada, não bem identificada. Aqui está uma reprodução de fantasia. Veja Crooked.

Falcione – Arma camponeira nascida da foice em que o ferro foi montado no eixo em leilão. Então se transformou na foice de guerra com prisões. Finalmente desfilam armas como o mow de aparência e a casa mwell.

Fang – Arma chinesa formada por uma barra de ferro de cerca de 60 cm de comprimento que termina com uma lâmina curta na base da qual faz parte de um post perpendicularmente (ou seja, formar um L).

FALSO FILO: Embora o termo falso fio exista na linguagem atual dos homens-faca como aceitação não oficial, ele realmente não existe como uma denominação técnica, pois eles são determinados em punhais, e em distintamente, o fio e o falso. Apesar disso, algumas lâminas de faca têm uma forte revidanas para trás no fraco, às vezes perfeitamente afiado e às vezes afiado. Tal conformação do terceiro distal tem a função de promover a penetração e o poder de tesoura da lâmina. Neste caso, a lâmina será definida como um fio e 1/3, ou 1/3 de fio, ou o fraco da parte de trás tomará o nome mais correto de contra-corte, ou contra-fio, ou corte falso, ou fio falso.

FANTASIA (FACA): Um termo que designa armas brancas particularmente procuradas em efeito estético, que quase sempre perdem suas conotações primárias de ferramentas de armas, e que estão muito longe da ética construtiva de lâminas de alta arte, lâminas onde elegância formal e grande qualidade são os imperativos de seu ser.

LUTA (FACA): Termo que se traduz em “faca de combate” e define uma adaga projetada quase exclusivamente para o ataque, o ataque surpresa, o estoque mortal. A característica fundamental desta adaga é geralmente ter uma seção lozenge, lâmina de dois gumes, bastante estreita, pontuda e muito afiada, antiderrapante e ambidestro, equipada com uma alça pura. Projetadas eminentemente para penetração aguda e mortal, essas adagas têm pouca versatilidade de uso.

UTILITÁRIO DE LUTA (FACA): A definição oficial do termo deve-se ao Ka-Bar Union Cutlery que em dezembro de 1942 apresentou e obteve a aprovação da Marinha dos EUA (Corpo de Fuzileiros Navais) para o fornecimento como equipamento pessoal de uma faca que se emprestou tanto para combater o uso quanto para as necessidades normais da vida militar. Conhecido em todo o mundo como Camilo, especialmente no ambiente militar, embora Camilo Cutlery não tenha sido o único e não o primeiro a fazer esse tipo de faca. Outras casas foram Case Cutlery, Ka-Bar Union Cutlery, Imperial, etc. A definição se estendeu para incluir todas essas facas de desempenho multiuso, mas intimamente ligadas a quatro papéis cardeal: combate, sobrevivência, arma de faca/campo e caça, punhal.

Parte extrema do corte. Diz que enfie a borda de corte da lâmina orientada para o exterior em comparação com a que segura a arma.

Fioretto – Arma de quarto com lâmina quadrada fina e elástica finalizada por um botão.

Firangi – Espada Indiana (Maharatta) com uma lâmina reta do século XVI ao XVI. características para a alça. As lâminas foram importadas da Europa.

Flagello d’arme – [vedi “mazzafrusto da cavallo”]

Flamberga – Espada alemã de duas mãos com lâmina de corte ondulada (“lâmina de cobra”).

Flyssa – Espada Nacional dos Cabos do Marrocos, com lâmina de cerca de um metro de comprimento, muitas vezes com inlays de latão.

FORBITURA: o termo indica um processo muito forte de POLITURA que permite obter uma superfície muito brilhante, espelho, das lâminas; é um acabamento particularmente popular entre os japoneses

Garfo – Arma em duas barras de rebbi (garfo de violação). Se ele tem um ou dois vincos ou flocos no garfo e perpendicular ao rebbi é chamado de escada bem (lett. G e H retratados). Inicialmente arma camponesa (seg. XII), então em uso militar até o início de 1700.

Garfo de prisioneiro – Arma na vara com um dispositivo carregado de mola que tinha o rebbi fechado em torno do pescoço do oponente que estava imobilizado como se por uma coleira pontiaguda. Também foi usado pela infantaria para capturar cavaleiros.

FIGHTING FIGHTING (KNIFE): Um termo que se traduz em “combater faca dobrável” e designa uma faca de lâmina de combate móvel pura.
Forbitura: O termo indica o processo particular de polimento de lâminas japonesas.

FORGING: Veja Fuciging.

FORNIMENT: Ou firnimentação, qualquer coisa que contribua para a conclusão, uso e armazenamento da arma. Es. (Alça, elso, manga, bainha, etc.).
O terceiro da lâmina que chega ao cabo.

FOSFATATION: Procedimento protetor metálico. Consiste em absorver os metais em um banho de solução fosfética, depois de terem sido pegos e explodidos. Às vezes, as lâminas de armas brancas são fosfato.

Francisca – Machado de combate franco. [vedi anche “scure”]

Forjar:
O processo de processamento de metal para deformação de plástico quente utilizando ferramentas industriais (máquinas, prensas) ou manuais (martelo). Na forja manual que afeta as armas brancas, a peça de trabalho é movida e girada várias vezes, deformada e aquecida várias vezes, até que você obtenha a forma desejada. Lâminas de alta habilidade podem ser forjadas (à mão) em aço mono ou damasco.

Fukidake – Japonês Cerbottana.

Furibo – Vara de combate japonesa que consiste essencialmente em uma vara com uma pomlet metálica.

Fustibulus (ou Fustibalus) – Arma romana de arremesso de pedra formada por uma vara com uma alça de couro no final para segurar a pedra.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera G

Gastrafete (ou Gastraphete) – Uma arma de cerco dos gregos e romanos que consistia em uma grande besta que foi esticada encostada no barril com seu peito.

Giusarma (ou Guisarma) – Uma arma de ponta larga usada pelos anos 50 nos séculos XII e XIV. Para um tipo específico, consulte Beidana.

Inastata (ou Glaive) – Não há muita clareza sobre terminologia. Geralmente são lâminas inaladas com dentes e paradas, mas não é fácil distinguir a maqueamento de roncone, kouse etc. [vedi anche “kouse”]

Gladio – Espada típica romana.

Gladiagrego – Os gregos no século V B.C. usou os Xiphos, uma espada reta, e uma faca de combate (macheira, kopis) um pouco como um kukri.

Godendag – Alabarda Flamengo do século XII.

Golok – Faca de selva em uso na Malásia e Filpippine, com lâmina de comprimento variado (de 15 a 60 cm.) e forma.

ADERÊNCIA: Um termo que traduz e se aplica ao grip/grip/handle. Na terminologia técnica dos esfaqueadores americanos pode entender e definir o aperto, a boa aderência da alça da arma, bem como o componente estrutural (aderência) especificamente.

Gudjerrun – Clava Austrália.

Gupti – vara animada indiana.

GUT-HOOK (FACA SKINNER): Um termo que se traduz em “gancho para intestino” e designa um tipo particular de faca fornecida na parte traseira de uma lâmina de gancho, ou melhor, o gancho é uma forma particular da parte de trás. O ideal para usar esta lâmina é que ela é afiada mesmo no trecho abaixo da parte de trás do gancho, ou seja, apenas no pequeno golpe final da lâmina para trás. A função desta faca é perfurar a pele do animal com a ponta, e uma vez anzol com o gancho, deslizar, com um movimento de asa zipper ao longo de todo o abdômen do animal, a parte afiada da lâmina para trás, favorecendo assim um mais rápido abertura do abdômen do animal e, você quer método mais seguro, no sentido de que você não corre o risco de cortar mesmo as vissures.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera H

Hachiwara – Estilo de duelo japonês de cerca de trinta cm. lâmina de seção quadrada.

Hallstatt – Punhais de ferro do século VI. Um. Natural de Cultura (Áustria).

Hamidaschi – Faca japonesa semelhante ao lote, com cerca de 40 cm de comprimento, mas com tsuba pequena.

Handjar – Um termo árabe, transformado pelo khandjar persa, que indica uma ampla gama de armas no mundo árabe, geralmente com lâminas curvas.

Eixo de Cabeça – Machado igorot da Ilha Luzon (Filipinas) usado tanto em combate quanto para uso pacífico.

Himogatana – Estilete japonês.

Hoeroa – Maori Clava feito de um osso de baleia plana, cerca de 120 cm de comprimento e 6-7 cm de largura. Tem uma pequena curvatura em forma de S e é usado com duas mãos.

Hoko – Lança japonesa.

Hora – Juntas de latão indianas feitas de chifre.

Hunga Munga – Faca de Lançamento Africano do Lago Chade.


Glossario sugli strumenti e le armi da taglio – Lettera I

ALÇA: Parte da arma que você pega com a mão para usá-la.
A alça pode ser forte ou secretamente anatômica, pode ser projetada para o destino funcional da arma, ponto e/ou corte. A alça se presta a infinitas interpretações executivas, pode consistir em uma única peça, oca para acomodar parcial ou totalmente a haste, ou oca como em facas de sobrevivência, ou duas bochechas colocadas um de cada lado para as placas que repousam diretamente sobre a superfície plana da haste. A alça de uma peça pode ser coberta com uma bainha de couro fina, cordellines trançadas e outras antenas que contribuem, bem como para decorá-la, também para melhorar a aderência.

RECESSO (FUNÇÃO DO’): O termo é sinônimo de ranhura, ranhura, e descreve as ranhuras e escalas presentes na lâmina. Sua função é dupla. Você quer o recesso para evitar o efeito de chupar o ar e acompanhar o sangue saindo da ferida. Na verdade, o dimensionamento é usado para evitar a ultraflexibilidade da lâmina. Por exemplo, canalizando as laterais de uma lâmina, torna-se mais rígido porque cada esforço feito para dobrar a lâmina literalmente sofre a maior quantidade de força refletida que pode ser fornecida pela forma. Mecanicamente falando, você tem que quebrar um arco para fora de sua coroa, e quanto mais profundo o arco é e maior e sua resistência. Por essa razão, o dimensionamento estreito é preferido para o mais amplo, embora com a mesma profundidade.

Ingonda – Machado da tribo Nkundu, Zaire. Cerca de 50 cm de comprimento.

INSÈRTO: O equivalente italiano da inlay inglesa (pron. ìnlei) é um prato de forma variada (retangular, oval, moldado) e material heterogêneo (muitas vezes decorativo) comparado com a bochecha da alça em que é inserido para fins estéticos ou ergonomia (melhor compreensão).

INTERFRAME (interfréim): Um método de construção da alça com uma estrutura metálica na qual um INSISIs distinto é incorporado.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera J

Jadagna – Marreta de Omaha.

Jambiya – Adaga árabe tradicional que toma muitas formas ao longo dos séculos e em várias regiões; A lâmina é curvada de arame duplo, quase sempre com a Costa Central. Sendo um componente de vestuário, o processamento da bainha assume uma importância particular.

Jamdhar Katari – Faca Cafiri em Hindu Kush.

Jedburg (ou Jeddardt; machado J.) – Arma de leilão escocesa. [vedi anche “Lochhaber”]

Jitte (ou Jutte) – Arma canhota em duelo, mas usada principalmente pela polícia japonesa.

Juken (ou Juso) – Nome japonês da baioneta.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera K

KAL-GARD: Revestimento anti-reflexivo derivado do espaço aéreo de alta tecnologia, também usado em armas brancas curtas.

Kama – Adaga persa 1600-1800 com lâmina reta de dois gumes e sulcos escalonados característicos em ambos os lados. O maico é semelhante ao do khandjar, mas com pommus diferente

Kama Yari – Picca japonesa.

Kanabo – Clube japonês de ferro ou madeira de ferro longo.

Kandjar – [vedi “khandjar”]

Karabela – Sabre de pé que fazia parte do vestido nacional polonês; arma de luxo.

Karambit – Faca antiga indonésia agora relançada em formas mais modernas.

Kard – Faca persa de um fio, com bainha que também cobre a alça; a ponta às vezes é grossa para ser usada como um avanço. A bola de metal na alça tem o objetivo de evitar que ela quebre seu cinto.

Karouli – Faca indiana com lâmina curva e alça semelhante a Chilanum.

Kaskara – Espada do Sudão (pop. Baghirmi).

Kastane – Ceylon National Sword. A alça é muitas vezes trabalhada artisticamente.

Katana – A famosa espada samurai que na verdade é um sabre, tanto para a curvatura quanto para a maneira de levar o golpe. As lâminas japonesas, dependendo do comprimento medido no fio, dão origem a armas de corte de diferentes nomes (medidas aproximadas e variáveis): Jan Tachi, lâmina acima de 84 cm; Katana e Tachi, mais de 60 cm; Chisa Katana, mais de 45 cm; Wakizashi, mais de 40 cm; Tanto e Auikuchi, mais de 28 cm; Yoroi Toshi, mais de 23 cm; Kwaiken, mais de 8 cm.

Katar – Antiga arma indiana com lâmina de arame duplo curva ou reta e de diferentes tamanhos de 10 a 90 cm.

Katzenbalger – [vedi “mezza spada da lanzo”]

Kauah – Marreta de cabeça de pedra destinada a ser lançada (Novas Hebrides).
Kau sin ke – Arnese chinês articulado, formado por barras anéis, com mais de um metro de comprimento, com alça nas extremidades, usado como uma corrente.

Ken – Forma de espada chinesa antiga (século VIII) e nome da espada cerimonial em templos japoneses com pomlet de alça de anel.

Kenuki gata tachi – Espada japonesa antiga com lâmina e alça de uma peça.

Kerrie (ou Knoberrie, ou Tyindugo) – Zulus jogando morcego às vezes com uma alça muito fina, cerca de 70 cm de comprimento, feita de ossos, chifres de rinoceronte, etc.

Khanda – Espada indiana antiga em uso entre o Rajaput e o Maharatta.

Khandjar (ou Kanjar, ou Kandjar) – Adaga árabe curvatípica com lâmina de dois gumes, às vezes com costela central; A lâmina muitas vezes tem curvatura dupla.

Khanjarli – Adaga hindu. Destaca-se do Khandjar por seu aperto.

Kharoll – Adaga do norte da Índia.

Faca Khyber (ou Faca Afegã) – Espada Nacional dos povos da Índia e paquistão.

Kilij (Kilig) – O típico sabre turco.

Kindey (K. dagger) – Adaga renal do norte da Europa no final de 1100.

Kindjal (ou Kinzhal) – Faca típica caucasiana, arame duplo, lâmina muito pontiaguda, reta; 50 cm de comprimento total. São ranhuras rachadas.

Kirasoo – Arma de arremesso indiana que consiste em uma vara de cerca de 90 cm de espiral e com uma maçã na cabeça: dependendo do caminho do lançamento faz evoluções e saltos perigosos.

Kirikobu – Clava de madeira japonesa usada por guardas do palácio.

Kiseru – Tubo de ferro japonês, utilizável para golpes parry e como um truncheon.

Klewang – O tipo mais comum de sabre malaio, indonésio e filipino com uma variedade de formas de aderência. Lâmina de cerca de 60 cm. Tipos: Dua Lalan, Penai, Tjo Jang, Kabeala, Balato, Bolo, Sikim Panjang. A Pira.

Kogai – Espécie de pino de cerca de vinte cm. que foi carregado junto com a faca kozuka, enfiada no tsuba da katana. Foi usado como uma arma de lançamento temível.

Kopis (ou Khrobi) – Antiga arma egípcia ainda em uso no Congo.

Kora – A Espada Nacional Nepalesa para usos de combate e sacrifício; O comprimento total é de cerca de 75 cm e a lâmina na parte mais larga é de cerca de 20 cm. Símbolos budistas (olhos) são frequentemente gravados na lâmina.

Koshigatana – Pequena adaga japonesa com lâmina de cerca de 12 cm, adequada para ser transportada nas dobras do quimono.

Kotiate – Maori mazza com uma estranha forma de violino, cerca de 40 cm de comprimento. As esculturas foram usadas para bloquear o corte de armas.

Koto – Jogando faca da tribo Koto do Gabão com uma lâmina de cabeça de chifre. A pega está enrolada em fio de cobre. Eu uso mais do que qualquer coisa cerimonial.

Koummya (ou Kumiyah) – Adaga do Marrocos, berberes tradicionais. É só um corte. A bainha é muito curvada na ponta

Kouse – Faca do Estado talvez derivada de atestado; é a arma dos contrabandistas e os rostos são decorados. Não há muita clareza sobre esses nomes. [vedi anche “couse”]

Kozuka – Faca fina inserida na bainha da katana ou wakizashi junto com o kogai.

Kringla – Spadona de duas mãos com um elso particular formado por um bar torcido para compor anéis. Suécia, 1400-1500.

Kris (ou Keris) – Adaga típica da Malásia, possivelmente nativa de Java, com uma lâmina bilíngue, mas às vezes reta ou apenas curvada, espalhada por todo o arquipélago indonésio. Especialmente cuidado com o processamento de todas as partes da faca e bainha com variações infinitas. Tem 60-70 cm de comprimento.

Kubikiri (ou lote Bokuwari) – Modelo particular de Tanto Japonês com lâmina curva afiada do lado côncavo; Diz-se que ele é usado para cortar a cabeça do inimigo.

Kudi – Adaga malaia com lâmina de cabeça de pássaro com valor talismã.

Kujerung (ou Kugerong) – Australiano jogando bastão de madeira com um eixo e cabeça pontuda.

Kukri (ou khukuri) – Arma Nacional do Nepal e seus guerreiros Gurka. Tem lâmina curvada, cerca de 60-70 cm de comprimento, afiada no lado côncavo e a mudança do peso para a ponta permite golpes muito eficazes. A alça é reta, sem guarda ou com uma guarda muito pequena; característica da coleção (kauri). Possui forro de madeira coberto de couro que também contém duas facas pequenas (karda e chakmak).

Kumade – Uma arma em forma de garra que é empunhada nas artes marciais. Às vezes com uma alça perpendicular na base.

Kwaiken – Faca japonesa pequena com lâmina de 12-15 cm a um ou dois fios.

Kusari gama – Arma formada por uma corrente com duas garras nas extremidades, às vezes até pesada ou uma Kama com uma corrente com peso preso à base da alça.

Kyoketsu shoge – Acorde longo com um anel para uma cabeça e uma lâmina com arpão lateral para o outro; inicialmente usado para escalar paredes ou árvores, foi mais tarde usado como arma.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera L

Lading Terus – Adaga malaia feita com a ponta de uma lança.

PARTE da arma branca projetada para ofensa ou trabalho. A lâmina é dividida no terço quase médio (médio) e o terceiro distal (fraco). A forma da lâmina imediatamente deixa claro o tipo do objeto e seu destino funcional.

AÇO LAMINADO: Um termo que se traduz em “aço laminado” e historicamente refere-se a aço composto fabricado no Japão ou escandinávia. O termo, no entanto, se estende para incluir também o aço damasco, mais especificamente o aço soldado (em camadas, em desenhos). O termo laminado muitas vezes refere-se mais especificamente às lâminas com uma estrutura quebrada que no Japão são chamadas de san/mai, na qual um núcleo de aço “duro” é inserido e enfaixado por flancos de aço “macios”. A alternância de siffata, combinada com o tratamento térmico diferencial, dá à lâmina o mérito de ter uma ponta dura e durável ao longo do tempo, e uma elasticidade geral de absorção de choques e derrames notáveis e distribuídas por todo o corpo da lâmina.

LAMINATED WOOD: Um termo que designa uma madeira composta de múltiplas camadas compactadas entre eles.

Lance – Arremesso, pé e vara de cavalo. Ele foi cortês para jogar guerra a cavalo, estava apoiado sobre os restos mortais; tinha até 4 metros de comprimento e com um caule oco. Arremesso de carrossel, também torneio, mas de mãos livres.

Langgai tingang – Um tipo de Malaio Parang Ilang do mar daiaki. Semelhante a Niabor e Jimpul.

Lapinleuku – Faca finlandesa; 21 cm de comprimento.

Leônio – Mazza usado por populações do Lago Vitória.

LIXAMENTO: Acabamento superficial elevado de materiais heterogêneos; madeira, pedra, metais, etc.

Lil-Lil – Mazza usado por pessoas do Lago Vitória.

Boi Língua – Meio pique de 1500 com lâmina de espada.

LINO (batist of): O linho batista é ótimo para secar as lâminas do óleo residual, ou para a colocação nova. A validade do tecido se deve à absorção do óleo residual, não arranha o “pano” da lâmina, não deixa cascas misturadas com o lubrificante, e quando você espalha o óleo, justamente por causa da propriedade de absorção, ele permite espalhar quantidades ideais dele sem exceder a espessura do filme oleoso.

Liyangayil – Clava Australiano.

Lochaber (Axe L.) – Machado em leilão escocês.

Lohar – Uma arma de cerca de 40-50 cm de comprimento usada pelo povo afegão.

LUCIDATURA (A SPECCHIO): Tratamento espelhado e acabamento de superfícies metálicas.

Luzernerhammer – Tipo de marreta 1400. É um azza de ferro esguio, em uso na Suíça e alemanha. Martelo com 4 dentes e cusp longo.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera M

Machaira – Faca bizantina.

Machera – Espada grega com lâmina longa e reta. [vedi anche “gladio”]

Facão – Ferramenta de trabalho.

Madu – Arma dos Fakiri, formada por dois chifres de Fachiro cuja articulação central é coberta por um pequeno escudo de 30 cm de diâmetro.

Talvez Yari (às vezes jumonji-yari) – as armas japonesas de leilão são divididas em três tipos: agitado, yari e talvez yari. O talvez-yari, que se tornou uma arma cerimonial, aparece com inúmeras variantes: Magari-yari – uma arma com uma lâmina tripla em forma de cruz; Bishamon-yari – uma arma de lâmina central flanqueada por duas lâminas laterais de meia-lua; Hoko – Braços com lâmina em forma de L dupla; Futomata-yari ou sasumata – arma com lâminas em forma de forca. Gekken – braços de lâmina sundos. Kagi-yari – braços do tipo hoko equipados com gancho lateral e sem lâmina. Kama-yari et o-kama-yari Kumade do tipo grupo com uma lâmina curva e dois ou três ganchos. Makura yari- Dardo longo e leve.

Gauche principal – [vedi “daghetta”]

Malchus – Um tipo de Crooked.

Mamori katana – Uma pequena katana com uma lâmina de cerca de trinta cm que foi dada aos filhos de samuraiaté os cinco anos de idade.

Mandaia – Faca Mindanao Mandaia.

Mandau – A espada tradicional do dayaki, chamada na Malásia Parang ihlang. É como um facão de um fio só. O tipo Mandau pasir tem uma lâmina muito larga. O nome significa “Lâmina dupla” porque uma faca é inserida na bainha. Isso se chama Pue e é muito semelhante ao Pisau Raut usado para extrair rattan (alimento) com lâmina de cerca de 10 cm e alça de 30 cm.

Mangbetu – Faca Mangbetu, população centro-africana.

Mangana – Nome genérico para máquinas de guerra a jato; os árabes chamavam as catapultas de Manjanik.

Manrikigusari – Arnese de Artes Marciais (Ninja)

Manuballista – Besta dos Romanos (em cheiroballista grego).

Maripi – Ferramenta de corte de carne da Nova Zelândia (30 cm.).

Marrocos – punhais marroquinos. Os forros marroquinos são equipados com um anel ao qual uma corda de seda é anexada. A adaga é transportada no lado esquerdo com a corda no ombro direito.

Martelo de armas – Uma arma encharcada de estrondo com muitas variantes que foi transportada pendurada no arco do cavaleiro.

Martelo de armas de bico de corvo – Dito para o bico de corvo porque a boca do morcego é oposta por uma caneta. O termo Bec de corbin também é usado para a arma da vara (batpicchio). Nos tipos italianos de 1400 a boca é dividida em cuspes (dente).

Masakari – Em japonês, o nome genérico para o machado, mas também um machado de combate com um bico pontiagudo em frente à lâmina.

Bastão de ferrata – Marreta de madeira com cabeça reforçada com pregos e espinhos.

Marreta de ferro – Maça de ferro muitas vezes todo ferro; foi carregado pendurado na sela.

A haste do pé consiste em uma vara de altura do homem com um suporte ao qual eles são unidos com correntes de uma a três bolas de madeira passada ou ferro com pontas e brócolis. O cavalo (bandeira dos braços) com uma alça curta e geralmente com apenas uma bola. Se formado por duas varas, a origem do trebbio é evidente.

Batpicchio – Arma desemeiada e cortada com ferro de um lado na forma de um machado do outro na forma de um martelo.

Mel Puttah Bemoh – Espada longa de duas mãos com stripblade. Sul da Índia, 1700.

Mentok – A espada de Java com uma lâmina ligeiramente curvada e uma ponta ampliada.

Metsubushi – Cegando poeira e a ferramenta que os japoneses usavam para jogá-la nos olhos do adversário; inicialmente talvez uma casca de ovo, em seguida, uma caixa redonda ou oval de latão ou madeira lacada tendo de um lado uma boca para soprar você e do outro um tubo do qual veio o pó (principalmente pimenta).

Meia Espada de Lanzo – Espada usada no primeiro semestre de 1500 pelo Lanzichenecchi. Lâmina reta e larga, achatada no final com uma alça de maçã de cogumelo resistente. O guarda tem uma forma típica de S.

Mezzostocco – Pequeno toque no pé.

MICARTA: Produzida e patenteada pela Westinghouse, a micarta é um composto de resinas fenólicas nas quais camadas de tecido são imersas. Amplamente utilizado em canivete contemporâneo para sua boa aparência, o micarta é inatacável de ácidos, agentes oxidantes, resistentes a choques, inatacáveis por lama, sangue, etc.
É um material ideal para a construção de apertos. Existem vários tipos de micarta, em que a matriz pode não ser pano, mas também papel ou madeira e cores diferentes. Por exemplo, o que é chamado de “linho micarta” não é micarta com linho, mas com algodão. Embora o que é chamado de “marfim (osso) micarta”, micarta de marfim, não é verdadeiro micarta, pois o material usado não é uma resina fenólica, mas epossodic.

Misericórdia – Uma adaga chamada estilo ou estilete, chamada misericórdia porque estava destinada a dar o golpe de misericórdia através do armatur ou porque o oponente não foi deixado naquele momento, mas para pedir graça; na verdade, um punhal duelo com uma lâmina de seção quadrangular e muito pontiagudo. [vedi anche “pugnale”]

O tamanho de uma arma branca e sua possível bainha devem ser expressas em mm. E o peso em gr. Seguindo uma ordem descritiva pré-determinada e oficialmente adotada no campo internacional. Abaixo de 35 cm. Adagas são consideradas entre 35 e 51 cm. Barragens, entre 51 e 71 cm. Eles se consideram espadas curtas e além das últimas palavras métricas.

Há dois tipos de mola nas facas de lâmina móvel, no exterior e no interno. A mola externa é geralmente uma laje de metal que cobre toda a extensão da alça e é mantida parada por uma réplica central e passageira. A parte da frente da primavera tem um pequeno buraco. A parte superior do calcanhar tem um dente pequeno que com lâmina aberta vai caber perfeitamente no buraco em forma da mola. A cabeça da mola tem um sistema de desbloqueio, ou sino, que geralmente é um anel que fixado precisamente na cabeça da mola, permite, inserindo o dedo indicador, fazer força para cima e libertar o dente do orifício de bloqueio. A nascente inerna normalmente ocupa o espaço reservado para o arco. Quando a mola é esticada, um pequeno dente perfurado na cabeça da mola interna mantém a lâmina firmemente, mas não bloqueada. Tanto as molas externas quanto internas são divididas em uma metade dianteira (asa principal) e uma metade traseira (asa menor). Tanto as molas internas quanto externas são firmes, no entanto, ao contrário dos modelos de bomba (onde a mola inerna está inclinando), na parte de trás da alça.

MONOBLOCCO: Tipo de faca ou cabo de comprimento completo. A faca de bloco único é nua, apenas lâmina e bacalhau em forma de alça, sem qualquer tipo de revestimento ou fornecimento.

Moplah (Faca M.) – Faca e espada de uma tribo de Mahalabar, fio duplo.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera N

Naga Dao – Espada da população de Naga de Assam com cerca de 70 cm de comprimento e com lâmina de 20-25 cm.

Nagamaki – Arma japonesa entre a espada e a lança, cerca de 120 cm de comprimento e com lâmina de cerca de 45 cm. Foi usado pelos monges lutando.

Nagegama – [vedi “Kusarigama”]

Naginata – Arma de vara japonesa que carrega uma lâmina semelhante a sabre; vários fixadores, desde o fixo com codol (nakagi, komi, kuki) até o móvel que permite usar a lâmina mesmo sem a haste (Naginata no saki). As mulheres também praticaram seu uso. A lâmina tem 25-50 cm de comprimento e foi equipada com uma bainha (as lâminas japonesas são sempre protegidas por uma bainha).

Nascido (ou Ken Nata) – Faca de caça japonesa com lâmina de 20-30 cm.

Navaja – Faca serramanica espanhola nascida no final de 1600 com uma lâmina geralmente equipada com uma parada de anel (à virole). Às vezes, alcançou dimensões enormes: um metro de comprimento e um quilo de peso. É provável que tenha sido o substituto da espada para aqueles que não podiam carregá-la.

Ngomba – Machado da Ngomba, tribo do Zaire; 70 cm.

Niabor – Parang do mar dayaki com uma alça fisgada e na lâmina um impulso perto da alça.

NICHELATURA: Um processo de revestimento de superfícies metálicas para fins protetores por uma fina camada de níquel.

NICHEL-SILVER: Liga também conhecida como alpacca, prata, liga composta por 52/60 cobre, zinco 10/35 e 5/35 de níquel. Liga também conhecida como níquel-latão, prata alemã.

Nil-li – Morcego de madeira australiano.

Nimcha – Espada Árabe (Marrocos, Magreb), final de 1600, com guarda retangular típica.

NITRURATION: Tratamento de aços que lhes dá maior dureza superficial e melhor resistência à corrosão. É feito pelo contato de aço com nitrogênio e sua formação superficial de nitrogênio de ferro.

Nodachi (ou Edachi) – Espada japonesa antiga com lâmina de mais de 90 cm até 226 cm (sic!); tipicamente cerca de 120 cm. Para os longos, foi preciso um aperitivo para ajudar a desenrolar. Aqueles de comprimento normal foram levados na parte de trás com a alça à esquerda.

Knuckle (ou Knuckles) – Uma ferramenta em forma de anel ou mais elaborada para ser aplicada à mão para bater com o punho. Às vezes, juntou-se a uma lâmina.

Nada – Morcego de madeira australiano (Queensland).

Nunchaku – Instrumento usado em armas marciais e composto por dois bastões unidos por uma corrente.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera O

Onagro – Máquina romana de arremesso de pedra. Alcance acima de 30m.

Ono – Leilão escuro em japonês de cerca de 2 m de comprimento. usado pelo Yamabushi; a borda de corte foi equipado com uma bainha.

Opi – Um tipo de klewang malaio com uma alça adornada com fios de cabelo.

Órgão duro, durável e elástico do esqueleto. Após vários processamentos, os ossos dos ruminantes também podem ser usados para a fabricação de apertos.

O-yumi – Grande besta de fortaleza japonesa (arco também de três metros de comprimento).


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera P

Pakayun – Saber das Muruths de Bornéu do Norte com uma maçã elso particular.

A madeira reduzida em 25 de sua espessura e imersa em uma matriz de resinas, feita em um processo semelhante ao micarta. Disponível em várias aparências e cores é usado para apertos de faca.

Pallash (ou Esquadrão) – Braço do flanco médio entre a espada, tendo uma lâmina longa e reta para um único fio e o sabre do qual adota a alça. Típico da Europa Oriental no início de 1700, é usado pelos croatas do exército austríaco e, em seguida, adotado por muitos cavaleiros europeus.

Panabas – Faca de selva de Mourão (Filipinas).

Parang – Nome genérico de facas da selva da Malásia.

Parang amanremu – Sumatra, 57 cm de comprimento.

Parang bilak – Bornéu, bastante curto com um único fio convexo.

Parang ginah – É improvável que seja uma arma; melhor considerá-lo um facão curvo.

Parang ilang – [vedi “mandau”]

Parang Jambolo – Espada do Patani, Norte da Malásia, 65 cm de comprimento. e lâmina de 40 cm. Ele é um dos Parang Rauks.

Parang nabur – É um sabre de imitação ocidental, mas mais curto para combinar com o físico do Daiaki.

Parazôrio – Adaga de lâmina larga usada pelos gregos e pelos romanos.

A operação de queimaduras, patente de Richard-Allen, obtida imersando o “ferro” em uma solução fervente de fosfato de ferro, ácido fosfórico e dióxido de manganês e, em seguida, em um banho de óleo fervente. Em 1942, o Ka-Bar Union Cutlery apresentou à atenção do Corpo de Fuzileiros Navais uma faca chamada “Faca utilitário de combate”, um protótipo do que se tornaria a faca oficial do Corpo de Fuzileiros Navais, a “U.S.N. MARK II”, no final de 1942. Esta faca tinha uma lâmina parkerizada.

Partisan – Ferro em forma de dragão com duas barbatanas na base; derivado do cuspe bolonhesa no final de 1400; ainda usado pela Guarda Suíça.

Pata – Arma indiana, evolução do katar que primeiro recebe um guarda como uma espada e, em seguida, uma luva que pode chegar até o cotovelo. Muitas variações.

Patan – Punhal-faca do Paquistão e Afeganistão; cerca de 60 cm de comprimento.

Paternoster (lâmina P. ) – Lâmina com pequenas cavidades, como as bolas de um rosário e que talvez tivesse que cumprir a mesma função com os soldados.

Patisthanaya – Lança sinhalese com ponta partidária.

PATTADA: Município da Sardenhar na província de Sassari, local de origem da faca “resolza”.

SOLDAGEM PADRÃO: Um termo que se traduz em “soldagem de desenho” e identifica um processo particular de produção de aço damáscara soldado (desenhos, camadas), praticado tanto na antiguidade quanto hoje.

Pattisa – Espada do sul da Índia com fios duplos, ponta redonda e larga. Às vezes o nome também indica um machado.

Patu (ou Mere) – Clava Maori.

Pedang – Sabre indonésio (Java) com lâmina de cerca de 50 cm imitando sabres europeus, muitas vezes alemães; vários tipos (tulang, belanda, mataram, palembang, perak. sabet, suduk. Às vezes, a alça é desprotegida e a arma tem uma faca ou facão.

É o órgão que permite o acoplamento de duas partes de um sistema, para que uma (a lâmina) possa girar em torno da outra (a impgnature).

Pesh Kabz – Adaga da Pérsia e norte da Índia. Lâmina T muito pontiaguda, geralmente reta, às vezes com leve curvatura dupla da ponta para cima; pode ser aguçado em um ou ambos os lados.

A superfície frontal ou traseira da lâmina. Os pratos são circunscritos pelos cortadores de corte, ou pelo fio e pelas costas.

Picca – Arma na haste com haste muito longa de 4 a 7 metros; foi usado pela infantaria para combater a cavalaria. Tem sua origem na sarissa da falange macedônia e foi reintroduzida pelos suíços na década de 1300; Em 1500, dois terços de uma festa era composta de pica-paus. Representante Adam Schiff (D-Calif.) Veneta aboliu os pica-paus em 1790.

Pichangatti – Faca Tamil.

Piha-Kaetta – Faca sinhalese.

Espada do travesseiro – Espada a ser mantida na cama para emergências. Cerca de 1600-1700.

Pilum – A típica lança dos legionários romanos.

Pinuti – Um tipo de Bolo [vedi] usado apenas como arma e bem acabado.

Pira – Sabre malaio.

Pisau Raut – [vedi “mandau”]

Piso – Tipo de Sabre de Dayaki Battak em vários tipos: Piso Eccat. P. Gading, P. Halasan, P. Podang. O Padre Tonkeng.

PITTINGS: Um termo que se traduz em “corrosão” e indica pequenos buracos na lâmina causadas pela ferrugem. Eles desaparecem depois da polícia.

Pogamoggan – Morcego dos índios americanos com cabeça de pedra em alça de madeira flexível.

Rocha eruptiva ácida, branca, composta de vidro e fenocristais. Sua porosidade e leveza se deve aos gases que durante a fase de resfriamento do magma efusivo e a subsequente mutação e consolidação na rocha de lava, abandonam a própria rocha. Reduzido a pó fino, é um excelente abrasivo para remover ferrugem das lâminas.

Pouwhenua – Maori maça na forma de um clava muito alongado e com uma alça pontiaguda.

Pugium – A adaga romana.

Adaga – Arma branca com lâmina curta de dois fios e ponta. [vedi anche “daghetta”]

Disc Dagger – Adaga onde a alça é delimitada por discos. É um termo moderno. Foi usado por cavaleiros desde o início do século XIV.

Adaga de Orelha – Punhal originalmente usado por stradiotes venezianos (seg. XV).

Adaga – Guarda formada por duas protuberâncias redondas das quais se entende que o rim é um eufemismo para o idiota. Lâmina geralmente em um fio com ponta reforçada. Em uso no centro e norte da Europa a partir de 1300.

Lanzo Dagger – Fazia parte da fantasia de Lanzi em 1500.

Adaga (ou punhal) da mão esquerda – Punhal ou adaga curta a ser realizada durante a luta para golpes parry e ferir.

Adaga Romana – [vedi “pugium”]

Punhal push – Arma de trapaça que se originou por volta de 1830 talvez em Nova Orleans; lâmina de cerca de 10 cm e estava em voga durante a Corrida do Ouro. Agora em uso nas artes marciais; Não sei se é de origem oriental autônoma.

Pulouar – Sabre indiano, tipo talwar.

PUSH-DAGGER: Termo que designa uma pequena adaga, facilmente escondida, que é usada na ponta e se envolve da mesma forma que um saca-rolhas, ou seja, com a haste presa entre o dedo indicador e o dedo médio.

Puukko – Faca finlandesa de 20 a 30 cm de comprimento.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera Q

Qama – Faca tradicional georgiana, semelhante à kindjal dos cossacos.

Quaddara – Espada persa com uma lâmina de dois fios de 45-50 cm de comprimento com a mesma forma que o kindjal.

Quadrellone inovador – [vedi “ahlspiess”]


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera R

Ram Da’o – Espada de sacrifício nepalês.

RED BONE: Um termo que se refere a um osso colorido com tons de vermelho.

RED STAG: Um termo que se refere a chifres de animais coloridos com tons de vermelho.

Rencong – Adaga de Sumatra citada como Kris em Java. O comprimento varia de 10 a 50 cm.

Roncone – Arma no leilão do infantaria que remonta a 1200; A forma agora conhecida é 1400. Pode ser simples ou duplo.

ROSTFREI: Termo alemão que se traduz em “aço inoxidável”.

Patina avermelhada que é formada pela oxidação do ferro.

Rungu – Morcego africano da Somália à África do Sul; o mostrado é Maasai.

Runka – [vedi “corsesca”]


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera S

Sabe , Arnesi derivado de uma catote, usada em artes marciais.

Saif – sabre árabe com botão típico na forma de uma coroa pontuda.

Salapa – Espada Indiana; O pommel é equipado externamente com uma tira de metal perpendicular para a alça, para proteger o braço.

Sang – Lança cerimonial sinhalese.

Sapakana – Morcego de Guaiana.

Sasumata – Uma forca japonesa com rebbi espinhoso. No período togukawa, a polícia usou a técnica de jutsu hobaku para pegar os bandidos com três ferramentas diferentes (Mitsu-dogu, o equipamento triplo) formado por Sasumata, Sode Garumi (arma de vara longa com parte terminal pregada e equipada em cima de ganchos para pegar as roupas) e Tsuko bo).

SATINATURA: Do cetim francês, um tipo de processamento da lâmina que lhe dá uma aparência brilhante e polida, como um tecido de seda, obtido pela calandragem.

Sbulah (ou Sboula) – Faca marroquina com alça jambiyan, mas com lâmina reta e corte único.

Schiavona – Espada de lâmina larga e pesada geralmente de dois fios com suprimento típico enjaulado. Arma de cavalo em uso no Representante Elijah Cummings (D-N.Y.) a partir de 1500.

Schliger – A espada usada pelos estudantes alemães para o duelo; ele tem um guarda rudimentar e é afiado apenas na ponta.

Saber – Uma espada com lâmina de fio único com curvatura convexa na lateral do fio, mais ou menos acentuada. Ele é distinguido da espada porque não se pretende acertar um certo ponto como se faria com um machado, mas atacar com um movimento que leva o fio da lâmina a deslizar sobre o alvo. No sabre da Europa Oriental, a lâmina se amplia no último terço (jelman). Era usado principalmente por cavalos. O guarda às vezes é elaborado com galhos e bonés.

Scimitar – Muito curvo sabre oriental. [vedi “shamshir”]

Cito – [vedi “falcione”]

Escorpião – Roncone atípico derivado de alabarda e tipicamente italiano. O nome é moderno.

Scramasax (ou Sax) – Faca dos Francos talvez de origem celta; em uso entre as populações germânicas do século V ao século X. Espadas com a mesma forma são chamadas SAx ou Long Sax.

SCRIMSHAW: Técnica de gravura em todos os tipos de marfim, mas também em materiais sintéticos, pretos e brancos ou coloridos. Os artesãos usam ferramentas de vários tamanhos e medições, no entanto, sempre muito pontiagudos. As cores utilizadas são tinta, tempera ou óleo.

Escuro – Arma (e ferramenta) muito utilizada ao longo da Idade Média. O machado é menor que o machado e é bem diferente da ferramenta; permaneceu em uso para o homem de armas até 1700 nas guerras contra os turcos. [vedi anche “accetta”]

Braços escuros – Machados de combate com lâmina e caneta em frente a ela.

Seiva – Faca indonésia.

Sekin – Faca de sumatra com uma lâmina de cerca de 25 cm ligeiramente curvada.

Semente – Espada de fio duplo do Maasai, cerca de 50 cm de comprimento. Chamada de “espada de leões”.

Sergentina – Uma pequena alabarda decorada com metais preciosos, usada por oficiais em 1700-1800.

SERRAMANIC (COLTELLO/PUGNALE): Uma faca na qual a alça também realiza a tarefa de ser uma bainha. Definição que identifica em particular aquelas facas/punhais em que a lâmina gira em torno de seu eixo de 180 graus.

SERRILHADO: Termo que se refere aos dentes de serra presentes em uma lâmina.

Sewar – [vedi “siwah”]

Abalado – [vedi “shuriken”]

Shakujo Yari – Espécies japonesas de vara animada contendo uma lança.

Shamshir – Escimitaroriental, originalmente persa; muito curvado, lâmina em um fio de cerca de 80 cm.

Shashqa – O sabre nacional do Circassi. Alça típica.

Shoka – Tribo Tanganika lutando contra machado.

Shotel – Espada Abissíniana de fio duplo; parece que a curvatura serviu para atacar contornando o escudo.

Shuko – Artes marciais arnese a ser fixado no pulso para escalada ou defesa.

Shuriken (ou Abalado) – Japonês lançando armas de dois tipos, bo-shuriken (ver) na forma de uma lâmina ou caneta alongada e armas abaladas feitas a partir de uma placa de ferro. Os em forma de estrela são chamados hira shuriken. As formas são atualmente as mais díspares.

Sica – Adaga romana com uma lâmina afiada e curvausada pela seita judaica chamada Sicari.

Silepe – Machado basuto.

SILICE (GEL OF): Sílica (dióxido silicicico ou dióxido de silício) na forma de um gel é usada, em casos especiais ou para fins de precaução, como uma substância higroscópica para a absorção de umidade atmosférica. O gel é colocado nas gavetas dos talheres para proteger os materiais naturais, especialmente, dos danos do ambiente úmido circundante. A propriedade da igroscopicidade é propriedade de absorção (como no caso do gel de sílica) o vapor de água presente na atmosfera.

Siraui – Rara adaga de Sumatra.

Siwa (ou Sewar) – Semelhante ao Tumbuk Lada do qual se destaca pela bainha.

Siwalapa – Uma marreta de madeira do Suriname.

Skean dhu – Uma pequena adaga que depois de 1746 (proibição de porte de armas pessoais) os escoceses carregavam com o kilt, enfiando-o na meia da perna direita.

SKINNER (FACA): Um termo que traduz e se aplica a “faca de pele”.

Sode Garumi – Arma “pegue ladrões”; ver Sasumata.

Sosun draw – Espada indiana semelhante a um yatagan.

Espada Bastarda – [vedi “spadona da una mano e mezza”]

Espada de cavalo (ou seja, para homem a cavalo) – Semelhante à espada ao lado, mas mais pesada e equilibrada no centro com guarda reduzida, já que a mão do piloto já estava protegida.

Espada de execução – Espada semelhante à espada de duas mãos com lâmina da mesma largura, mas com uma forma diferente e mais curta e uma ponta cega; muitas vezes tem três buracos chamados “pingos de sangue”. A lâmina é gravada com cenas de tortura, forca ou religiosa.

Espadas – Bastante curtas e resistentes com boa defesa de mão.

Espada de estocco – Espada com lâmina geralmente triangular e costela forte para o meio, adequada para o ataque de estoque.

Espada de marra – Com dica arredondada para ensinar em academias de esgrima.

Espada de lado – Espada de lâmina afiada e flexível, principalmente destinada a ser usada como ponta e equipada com um protetor elaborado; arma típica do esgrimista e do duelo.

Viking Sword – Típico edmour almofada com uma montanha piramidal sobre ele.

Spadino – Pequena espada usada por civis e oficiais em vestido de gala; do final de 1600 em diante.

Spadona – Um termo genérico de espada para ser usado com uma mão, mas com uma lâmina mais longa e mais larga do que o habitual.

Espadas de uma mão e meia – Espada mais longa que a comum e para a qual pode ser necessário usar duas mãos. Tem 130-140 cm de comprimento e foi usado para o confronto a pé em campo fechado. Também chamou de espada bastarda.

Espada de duas mãos – Espada grande com lâmina de arame paralela e ponta. Ele apareceu em 1400 para lutar contra alabards e espadas truncar sua vara. Muito usado pela infantaria suíça e alemã que o carregava em seu ombro. Nos séculos seguintes também com uma lâmina bilíngue.

Spatha – Espada da cavalaria romana na época de Diocleciano, mais longo que gladio. Mais tarde usado também no final dos tempos romanos pelos povos invasores.

Espeto de caça de javalis – Arma robusta em vara de ferro frondosa ou triângulo; ele tem uma parada de ferro transversa, na base da lâmina para evitar que o animal corrija muito profundamente e venha se aproximar do caçador. Um modelo italiano foi chamado de scallotard.

Spuntone – Arma em leilão de diferentes formas em 1300 e 1400; nos séculos seguintes, toma a forma de pique partidário.

Steigerhacke – Arma cerimonial de mineiros alemães e suecos de 1500 a 1700. [vedi anche “accetta”]

Estilo (e Stiletto) – Pequena arma manesca com lâmina reta e acutississma com seção triangular ou quadrada. Às vezes em uma peça com o punho e a alça. Stiletto, se pequeno.

Stocco – Uma espada de uma mão e meia com uma lâmina em forma de triângulo. turbot destinado a bater o topo (1400-1500).

Stocchetto – Espada do lado pequeno do qual veio a espada (1600).

Abençoado Stocco – Precioso presente de espada com provisões de prata e ouro dadas aos princípios que defendem o cristianismo. Da Idade Média até 1800.

Sumpitan – O Território dos Veados de Bornéu.

Crooked – Arma branca manesca a pé do final de 1400.

STREET (FACA DE SOBREVIVÊNCIA): Termo que se traduz em “faca de sobrevivência urbana” e que inclui uma pequena série de punhais facilmente escondidos, leves, mas às vezes, se bem utilizados, particularmente eficazes, dissuasivos e letais. Policiais, guarda-costas e civis que vivem em áreas urbanas de alto risco usam essas facas como arma auxiliar.

ESTRUTURA SERRAMANICA:
Em facas simples, a alça pode consistir em uma única peça com uma ranhura ventral para a carcaça da lâmina e as duas bochechas ao lado do arco e apoiada pelas telhas de suporte.
SIMPLES SERRAMANIC:
Facas/punhais com “ghiera”, “rebote”, “brocca”, “guia”, no qual a lâmina gira 180 graus ao redor de seu eixo e não possuem sistemas de parada particularmente evoluídos.
COMPLEXOS SERRAMANIC:
Bombas de facas/punhais, com “mola interna”, “mola externa”, “snap”, “gravidade” em que a lâmina gira 180 ° em torno de seu eixo e tem sistemas de parada de lâminas mais sofisticados e avançados do que simples travas de punho.

Surai – Mahratta Espada curvada apenas no último terço de seu comprimento.

Em Yari – lança japonesa com ferro de dois fios retos, como espada.

SWITCHBLADE (FACA): Um termo que se traduz em “faca serramanica” com um sistema automático de abertura de prensa, para inércia ou gravidade.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera T

Tachi – Espada japonesa que precede a katana como uma espada de um fio. A principal distinção, uma vez que o comprimento era mais ou menos o mesmo, é a maneira de carregá-los (quadro, token; o taki pendurado no cinto com dois cadarços conectados com amarras especiais (kawasaki) na bainha e com o fio para baixo; foi usado com armadura a katana ele é enfiado no cinto com o fio para cima.

TAKE: Porção lateral-apical da lâmina que dura do ângulo de corte até o fio (fio excluído), formado pelo encontro dos dois pratos superior e de lâmina lateral.

Taiaha – Lançador de varas da Nova Zelândia com cerca de 150 cm de comprimento. A dica é plana e decorada.

Takouba – Espada do Tuareg

Talibon – Lutando contra a Espada das Filipinas.

Talwar – Categoria de sabres indianos.

Tanto – Adaga japonesa com lâmina de até 30 cm e guarda pequena.

Tau-kien – Espada chinesa pesada e longa com lâmina triangular ou quadrada, pequeno guarda disc, usada para treinamento de duelos.

Tebutje – Mace leve e espada das Ilhas Gilbert grossas revestidas com dentes de peixe-cachorro.

Tegha – Sabre indiano semelhante a Talwar.

Telek (ou Talik) – Adaga tuareg com alça cruzada. A bainha de couro é equipada com uma pulseira que permite que ele seja fixado no pulso esquerdo com a ponta voltada para o cotovelo, presa pela pressão dos dedos. Ele pode escapar tão facilmente e ser empunhado.

DUREZA: Embora o conceito de dureza não seja de todo simples, e não possa ser dada uma definição precisa, também não deve haver dúvida de que expressa não apenas um estado resistente de materiais ou um estado exclusivamente dúctil, mas um estado em que uma alta ductilidade também é acompanhada de boa resistência, elasticidade e resiliência. Um aço muito dúctil (por exemplo, aço renado extra suave) não é muito tenaz, e por outro lado um aço duro endurecido, portanto com uma carga de quebra muito alta, mas com ductilidade muito baixa e resiliência, está longe de ser tenaz. Dureza não é exatamente o oposto da fragilidade; sua medida é o coeficiente de qualidade junto com a carga de ruptura e resiliência.

Teppo Yumi – Besta leve japonesa usada para diversão ou caça de animais pequenos.

Tessen – fã japonês com lats de aço. Esses ventiladores de duas formas, ou o Uchiwa, cerimonial, que não foi aberto e foi usado pelos oficiais e pelo tessen ou tetsu-ten (tetsu – aço) com algumas das talas de aço; foi eficaz para parrying golpes e como um truncheon.

Tartaruga – Máquina de cerco para se aproximar da base das paredes de forma protegida; às vezes protege um aríete.

Tewhatewha – Morcego neozelandês.

Thami – Besta de madeira siamês.

Titanio: Metal leve, ductile e inoxidável. Em liga com ferro é usado para a preparação de aços especiais. Também usado em loja de facas.

Bintulo Toga – Arma e ferramenta de Sumatra; 70 cm de comprimento.

Toko – o bastão de luta de madeira de Fiji.

Tomahawk – Machado de luta de pele vermelha; originalmente de pedra com alça de madeira, depois ferro e de várias formas, após a chegada dos brancos; ele também se presta a ser lançado.

Tombak – em Java é uma lança e em Mandurat é uma adaga.

Tonfa – A tonfa é uma ferramenta de artes marciais aparentemente nascida entre os agricultores de Okinawa e inspirada na alça da foice (ou de acordo com outros para uma planta de sementes arnese). Consiste em uma vara de madeira de 45-60 cm com uma alça lateral. É usado tanto para parry golpes e cortes no antebraço e para golpeá-lo girando-o em torno da alça.

Tongia – Pequeno machado com lâmina semicircular do centro da Índia.

Tormento – Gênero de máquinas de guerra antigas baseadas na força liberada pela torção de feixes de fibras animais ou vegetais. A distinção entre ballistas, catapultas, onagers, etc., não é bem definida para a era greco-romana.
Torre de Cerco – Máquina de cerco para levar os assaltantes com segurança ao nível das paredes.

Trabucco – Máquina de cerco que jogou pedras grandes; consistia de um braço longo com um contrapeso em uma extremidade e um slingbag na outra extremidade que funcionava como um grande estilingue. Um cara chamado Biffa tinha articulado contrapesos, o que tornou o tiroteio mais rápido.

TERMO REFER: Combinando ciclos mais ou menos rápidos de aquecimento e resfriamento para dar a uma liga metálica ou metálica de estado sólido a estrutura cristalina mais adequada para ter certas características de dureza, dureza, Usinabilidade.
Triboli – Pregos de quatro pontas usados desde a época dos romanos nos navios.

Trident – Arma em barra com ferro de três pontas, de várias formas e tamanhos, dependendo dos países e tempos.

Tsuku-bo – [vedi “sodegarami”]

Tuba – A faca de Moro com uma lâmina afiada na parte reta e alça que forma um ângulo acentuado, às vezes quase ereto, com a lâmina.

Tumbuck lada – Adaga de lâmina reta de Sumatra.

Turup – Tipo de Katar com braços conectados por uma corrente ou tira de metal.


Glossário sobre ferramentas de corte e armas – Letra U

Umabari – Espécies de kogai usadas em certas partes do Japão para picar cavalos.

U’U – Uma maça típica das Ilhas Marquesas com uma alça muito longa, acima de um metro, que se amplia na cabeça da maça finamente esculpida na forma de uma cabeça humana.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera V

Vedong – Faca Indonésia

Veretrum – Pequeno dardo romano.

Vinchu – Adaga Maharatta com lâmina de tesoura dupla.

Vouge – Arma de leilão também chamada de Faca de Violação da qual acredita-se que o Kouse ou o Francês Vouge tenham sido derivados.


Glossario sugli strumenti e le armi da taglio – Lettera W

Wahaika – Clava Maori (30-60 cm) feita de madeira ou osso.

Wakizashi – O mais curto dos dois sabres (daisho) trazidos pelos samurais. [vedi anche “katana”]

Watilikri – Bumerangue australiano que, supostamente, se bater com a parte convexa continua a girar e atinge o corpo mesmo com a parte pontuda.

Wedong – Faca cerimonial de Java.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera X

Xiphos – Espada grega desde os tempos homéricos. [vedi anche “gladio”]


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera Y

Yari – Nome genérico da arma japonesa de leilão que toma várias formas. [vedi anche “Magari Yari”]

Yatagan – O típico sabre turco, que se espalhou pelo norte da África a partir de 1500. Lâmina de 50-80 cm ligeiramente curvada a um único fio no lado côncavo. a forma de uma alça mostrada abaixo é frequentemente encontrada. Se você guarda a arma não é turco. Ele foi carregado com um cinto de tecido e é mais uma faca do que um sabre. O dos Balcãs tem uma curva para trás do que o turco.

Yeamberrn – Clube australiano também usado como arma de jato.

Yoroi toshi – Adaga japonesa de 24 a 30 cm de comprimento. usado para perfurar armadura.

Yumi Yari – Ferro de lança feito para que você possa enfiá-lo na madeira do arco japonês para que você possa usá-lo como uma lança.


Glossario armi da taglio e strumenti – Lettera Z

Zafar takieh – Disse o cabide fachiro; É uma vara curta animada com uma alça em forma de cabide para se inclinar para a posição sentada ou ajoelhada. Mas Stone se refere a ele, em uma versão mais refinada, também como “de vitória” na qual os príncipes indianos se inclinaram quando deram uma audiência.

Zaghnal – Machado de guerra em forma de faca.

Zaire – Facas de machado zaire.

Zirah bouk – Adaga persa com ponta mais grossa usada para perfurar armaduras. O nome significa que, de fato, rompe a mentira.

Poliamida muito dura e durável utilizada na construção da estrutura interna de algumas apertos.

 

 


Se você gostou do que leu e foi útil para você antes de sair da página compartilhe o artigo através dos botões sociais que você vê no topo e comente. Muito Obrigado!

Importante! Ainda peço um pouco de esforço, mas para mim é útil para o projeto, clique como na página do Facebooke no Instagram Channel.


 


Like it? Share with your friends!

128
Andrea F

Maker and Enthusiast of Knifemaking. Other: Engineer / Professional Blogger / Bass Player / Instructor of Boxing / Muay Thai / Brazilian Jiu Jitsu / Grappling / CSW / MMA / Self Defence / FMA / Dirty Boxing / Silat / Jeet Kune Do & Kali / Fencing Knife / Stick Fighting / Weapons / Firearms. Street Fight Mentality & Fight Sport! State Of Love And Trust!

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!